Sabemos que o período gestacional requer muitas atenções para as cadelas e as gatas, e com a alimentação não é diferente.

Durante a gravidez, as cadelas e as gatas sofrem inúmeras alterações comportamentais, hormonais e físicas. Por isso, necessitam de uma nutrição equilibrada, tanto para manter a saúde da futura mamãe, quanto para garantir que a ninhada nasça e cresça saudável.

Algumas dicas sobre alimentação das gestantes e lactantes ajudam muito nessa fase. A primeira coisa a fazer quando se descobre a gravidez, é substituir a ração normal por um alimento com maior valor energético e com nível de proteína mais elevado.

A partir da quarta semana de gestação, deve-se aumentar a porção diária, para que ao final da gestação, ela esteja consumindo cerca de 40% a mais do que a dose indicada para seu peso normal. Isso porque os filhotes estão desenvolvendo musculatura, pele, pelos e ganhando peso, e necessitam de proteína e energia disponível para isso.  

Após o parto, a mamãe precisa produzir leite para a ninhada. Nesta fase normalmente o dono se descuida da alimentação, gerando problemas para a cadela, como perda acentuada de peso e diminuição da imunidade, que podem causar doenças oportunistas como infecções de pele por fungo e bactérias, otites e até queda de pelos.

Nesta fase, deve-se aumentar, gradativamente, de semana a semana, a quantidade de alimento oferecida para que a mamãe receba todos os nutrientes necessários para a manutenção de sua saúde, imunidade e peso. Além de receber nutrientes para a produção de leite para os filhotes.

Portanto, veterinários indicam na 1ª semana de lactação, 50% a mais de ração que a quantidade indicada ao seu peso normal, na 2ª semana, 100% a mais, na 3ª semana, 150% a mais e na quarta semana 200% a mais, e manter assim até a 6ª semana, pois, normalmente, os filhotes começam a se alimentar não somente de leite.

A partir desta fase deve-se diminuir a quantidade de alimento oferecida até o desmame total. Outra dica importante é que com o avanço da gestação e o aumento do volume do útero, bexiga, estômago e intestinos acabam sendo comprimidos, portanto é indicado dividir a quantidade diária de alimento em várias refeições, para evitar constipação e formação de gases e até cólicas intestinais. Estes cuidados aliados a exercícios físicos moderados, garantirão uma gestação e lactação tranquilas assim como filhotes fortes e saudáveis.

Lembrando que em todas as fases da gestação e lactação dos animais é importante manter contato com o Médico Veterinário de confiança, como também, assim que os filhotes nascerem para adequar a alimentação de acordo com as necessidades de cada caso.