A condição apresenta alguns sinais perceptíveis para os tutores mais atentos. Um dos indicativos é a mudança na personalidade do pet, que se mostra cabisbaixo e sem energia.

Todo tutor adora ver seu pet cheio de energia, brincalhão e cheio de energia, por isso é normal que a preocupação apareça ao notar que seu amiguinho de quatro patas está abatido. A anemia em cães é uma condição silenciosa muito comum entre os pets, que além da apatia pode causar outras complicações. 

 

Portanto, perceber os sinais da anemia é importante para garantir a saúde dos nossos pets e agir o mais depressa possível. 

 

O que é a anemia e as principais causas?

 

O sangue dos cães é composto pelos glóbulos vermelhos e brancos, que têm a função básica de transportar oxigênio pela corrente sanguínea e defender o organismo contra agressões internas e externas.

 

A anemia é causada pela redução no número de glóbulos vermelhos no sangue, o baixo volume faz com que o oxigênio não seja transportado corretamente, gerando uma série de complicações.

 

A verminose provocada pelo ancilóstomo é uma das causas do quadro anêmico em cães, o verme causador da doença, vive no intestino e se alimenta de sangue provocando diarréias e fraquezas no animal. Outra causa é a presença de ectoparasitas (pulgas, carrapatos ou piolhos), que também se alimentam do sangue do hospedeiro, assim como pode causar outras doenças como a doença do carrapato, que também provoca anemia.

 

A alimentação inadequada, doenças renais e hemorragias também podem causar a anemia, isso porque auxiliam na diminuição de glóbulos vermelhos no sangue. 

 

Quais os tipos de anemia?

 

Apesar de toda anemia ser a diminuição das células vermelhas e, consequentemente, da hemoglobina em circulação, há diferentes tipos da doença, confira as quatro principais e mais comuns nos consultórios veterinários:

 

Anemia arregenerativa por deficiência nutricional: é a mais comum e também a mais fácil de tratar. Acontece quando o organismo não recebe a quantidade ideal de nutrientes e, por isso, não consegue produzir hemácias suficientes;

 

Anemia regenerativa hemorrágica: ocorre quando há uma hemorragia, e o pet perde muito sangue, após um trauma ou a ruptura de algum órgão. Ela é regenerativa porque a medula óssea, que produz as células vermelhas, está funcionando perfeitamente e será capaz de repor o estoque, desde que a hemorragia seja contida;

 

Anemia regenerativa hemolítica: esse tipo de anemia é caracterizado pelo rompimento e destruição precoces das hemácias, que acabam durando menos do que os cerca de 100 dias que costumam ter de vida. É típica de doenças autoimunes;

 

Anemia arregenerativa por depressão da medula óssea: nesse caso, é a produção de hemácias que está prejudicada por alguma doença. Parvovirose, erliquiose ou até uma inflamação na medula podem causar essa anemia.

 

Principais sintomas

 

É habitual que o animal apresente fadiga, menor vitalidade, diminuição da força física, apatia e taquicardia durante as caminhadas e no repouso. O cão com anemia pode ter outros indicativos, além dos que mencionamos, como:

 

 

Lembrando que, o tratamento é sempre feito a partir da causa, corrigindo o problema que está levando à queda dos glóbulos vermelhos do cachorro. Por isso, sempre consulte um profissional de sua confiança.

 

Prevenção é sempre a melhor opção! Práticas como vacinação, controle de ectoparasitas e alimentação adequada são essenciais para o bem-estar do cachorro. As consultas regulares ao veterinário também são importantes para que pequenas alterações sejam identificadas mais precocemente.